Pular para o conteúdo principal

Trompas uterinas são reservatório de céluas tronco!


A notícia logo ganhou os sites dos principais jornais do mundo, lançando luz sobre o futuro da medicina regenerativa e do estudo da infertilidade feminina. Cientistas do Centro de Estudos do Genoma Humano da Universidade de São Paulo (USP) descobriram uma rica fonte de células-tronco, até então ignorada e jogada no lixo pelos hospitais, depois de cirurgias: as trompas de Falópio (ou tubas uterinas) — canais que ligam o útero aos ovários. Além de depararem com um novo reservatório de células-tronco, os pesquisadores conseguiram diferenciá-las em músculo, gordura, osso e cartilagem.Por telefone, a bióloga Tatiana Jazedje, principal autora da pesquisa publicada na revista científica Journal of Translational Medicine, afirmou ao Correio que o achado ocorreu por acaso. “Nosso objetivo não era obter células-tronco. Nós pretendíamos cultivar células normais das trompas de Falópio para que elas nos auxiliassem a cultivar as células-tronco embrionárias humanas.” Os cientistas perceberam, porém, que elas se multiplicavam muito rapidamente.O passo seguinte foi testar essas células em laboratório. Foi quando se deu a diferenciação. “Provamos que as trompas possuem células-tronco em grande quantidade. A questão não é nem o fato de elas existirem, mas de acharmos que isso abrirá várias perspectivas de estudo da infertilidade feminina”, destaca a especialista. Segundo Tatiana, o potencial dessas estruturas para uso na medicina regenerativa é promissor. “Agora, usaremos essas células em modelos animais, a fim de verificar se elas também podem se transformar em osso, gordura, cartilagem e músculo. Só depois vamos usá-las em seres humanos”, esclarece. Apesar da euforia da descoberta, a bióloga afirma que ainda não há previsão para uma nova terapia regenerativa e defende a continuidade das pesquisas com células-tronco embrionárias humanas. “Temos muito a aprender com elas e não creio que a nova fonte vá contra esse estudo.”Diretor da Divisão de Medicina Reprodutiva do Centro Especializado em Reprodução Humana e coautor da pesquisa, Paulo Perin contou à reportagem que a recente identificação de células-tronco no útero e no sangue menstrual levou a equipe a imaginar que as trompas também pudessem fornecê-las. “Separamos os fragmentos de seis tubas uterinas das pacientes que se submeteram à laqueadura e à retirada das trompas. Então, identificamos essas células e as cultivamos, para verificar a expansão de sua disseminação em cultura”, afirma. Segundo ele, a quantidade de células-tronco recuperada a partir do material descartado foi muito grande. “A multiplicação dessas células foi tão intensa que temos um enorme estoque de células-tronco”, comemora Perin.O especialista também defende as pesquisas com as células-tronco embrionárias, mas admite que o atual estudo resolve a exigência de se produzir embriões para tratar um determinado paciente. Agora, os cientistas querem centrar esforços no uso dessas estruturas para o cultivo de embriões. “Pretendemos avaliar se embriões de pacientes inférteis se desenvolvem melhor em cultura de células-tronco retiradas das trompas”, observa.Em Boston, minutos antes de embarcar para o Brasil, a geneticista Mayana Zatz — coordenadora do Centro de Estudos do Genoma Humano — destacou a capacidade de diferenciação das novas células-tronco. “O avanço é importante, mas nossa equipe está trabalhando para fazer mais descobertas”, garante. Ela também defende as pesquisas com células-tronco embrionárias, diante da ampla capacidade de diferenciação dessas estruturas.Fonte: Correio Braziliense
Postado por Assessoria de Comunicação às 09:58 no http://www.bionarede.blogspot.com/
Também encontrado na Folha de SãoPaulo de 19/06/2009

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gestação consciente - Eleanor Luzes

Caros alunos da Embriologia!

Gostaria de divulgar a vocês, principalmente ao pessoal da Psicologia o link abaixo. O texto em pdf pode ser baixado. Trata-se de um dos capítulos da tese de doutorado de Eleanor Madruga Luzes.  Capítulo II - Gestação consciente. (http://media.wix.com/ugd/e5bd94_feb92b33bf4df4c2438aa7d0ca48ca74.pdf) Eleanor é médica, psiquiatra, analista junguiana há 31 anos, trabalhou durante três anos em obstetrícia, foi professora primária.Tem mestrado em Psicologia, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e é doutora pelo Instituto de Psicologia da mesma universidade, com a tese de doutorado sobre a “Necessidade do Ensino da Ciência do Início da Vida” nas escolas do segundo e terceiro graus. Sua história e o restante da tese estão disponíveis no site abaixo. /http://www.cienciadoiniciodavida.org/

O Renascimento do Parto 2 - PROMOCIONAL com parto pélvico - 2016

As primeiras palavras são fortes e esclarecedoras. As cenas falam por si! Lindíssimo!!! Emocionante!

Cenas de parto!



Fisiologia Respiratória

Leiam e tentem entender as diferenças entre os volumes nas diversas situações demonstradas. Abraços e até semana que vem!

Volumes pulmonares
Sérgio Menna Barreto